Flavio Cruz

A modelo

A modelo modela na passarela.

Com graça, beleza de uma garça, deixa o corpo cair, pra lá e pra cá. O corpo não cai, só balança, e em cada balanço, disfarça uma lágrima.

Parece um pássaro. Bate asas devagar, sem voar. É uma beleza só.

Tudo que ela veste, se veste de  cor, se veste de amor, se difunde no ar.

Suavidade sem par.

A modelo parece tão leve... Parece flutuar. Parece voar.

A modelo é tão bela.

A modelo modela.

Mas ninguém sabe, o que lá no fundo, se passa dentro dela.

Ela também sente dor, falta de amor, coitada dela...

Tão sozinha, tão suave, tão graciosa, tão bela...

Passa pela passarela

E deixa toda tristeza nela...

 

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Flavio Cruz.
Published on e-Stories.org on 04/12/2015.

 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Next title

Does this Poem/Story violate the law or the e-Stories.org submission rules?
Please let us know!

Author: Changes could be made in our members-area!

More from category"Loneliness" (Poems)

Other works from Flavio Cruz

Did you like it?
Please have a look at:

Rimas fatais - Flavio Cruz (Life)
Fin dOctobre Avignon - Rainer Tiemann (Loneliness)
The secret is ... - Inge Hoppe-Grabinger (Psychological)