Antonio Justel Rodriguez

REBELIÃO POÉTICA




… minhas forças, nunca se calem ou parem, e não, nunca cedam ou se curvem ao mal, nunca, nunca;
a verdade está entre silêncios de enormes proporções que se rompem, como rumores de estrelas,
em alta, em música muito alta e frequência, você se lembra...?
sim, você foi uma vez;
... nós caímos e caímos em direção à dor, solidão e morte,
Perdeu o esplendor das fontes e esqueceu o poder,
o espaço/tempo,
a luz,
a ressurreição,
e assim, nossa descendência ou flor da eternidade;
Ah, bem, a busca pela vida, ah o coração do guerreiro divino segurando a espada e chorando,
ah o vento do furacão, a opacidade da pedra, e ah, ah o ofício sináptico e mimético do frio!
... aqui o XXI: os poetas/fogo se rebelam contra o sedimento da alma e da história,
eles, eles são os novos paladinos;
portanto, e com seus fogos vivos e altos, diga-me, quem, quem poderá detê-los…!
***
Antonio Justel Rodrigues
https://www.oriondepanthoseas.com
***
 

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Antonio Justel Rodriguez.
Published on e-Stories.org on 07/13/2022.

 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Next title

Does this Poem/Story violate the law or the e-Stories.org submission rules?
Please let us know!

Author: Changes could be made in our members-area!

More from category"General" (Poems)

Other works from Antonio Justel Rodriguez

Did you like it?
Please have a look at:

VRIJHEID MAN - Antonio Justel Rodriguez (General)
RENAISSANCE - Mani Junio (General)
Promised man - Jutta Knubel (Love & Romance)